agosto 04, 2017

Jardins Franceses!

Os jardins franceses são famosos por terem, além de personalidade própria, uma história de absorção de outros estilos.
Os jardins inicialmente seguiam as tendências do estilo italiano, mais com o tempo, o jardim francês foi adquirindo essa personalidade própria, caracterizado por plantações baixas, permitindo maior destaque e visibilidade da arquitetura das construções.

No geral, ele é caracterizado pela composição de topiarias, às vezes com flores nos canteiros para ter mais destaque nas estações mais quentes.

E também o uso da perspectiva nos grandes espaços para justamente causar admiração, e mostrar a superioridade e o poder do proprietário do jardim.









A História da disposição das plantas, de maneira que venha a formar um espaço de em belo jardim começa lá na Idade Média.

Os jardins ficavam em recintos fechados, lugar do amor sagrado e profano, protegidos pelas muralhas dos castelos.





Monges em suas abadias cultivavam suas plantas e ervas.

Abadia de Sénanque 

Abadia de Sénanque

Castelo de Villandry

Castelo de Villandry

Castelo de Langeais 

Castelo de Langeais 

Ao longo dos anos, os castelos foram perdendo toda a estrutura defensiva, e progressivamente os jardins foram ficando expostos e redesenhados, oferecendo itinerários alegóricos e conduzindo o visitante a cavernas, pavilhões e canteiros em forma de labirinto.


Castelo de Villandry

Castelo de Villandry

E surge um nome: Andrè Le Nôtre, que desenha canteiros exuberantes, que são verdadeiros tapetes da Turquia, com arabescos de buxos, que se prolongam em alamedas, cuja perspectiva se perde no infinito, um verdadeiro cenário e convite às festas grandiosas.

Andrè Le Nôtre



Le Nôtre ficou conhecido inicialmente pelo exuberante jardim do Castelo Vaux-le-Vicomte. O Paisagista tinha influência italiana, mas desenvolveu seu estilo próprio, com características voltadas à exuberância e admiração, bem como o rigoroso traçado simétrico.











O Rei Luís XIV contratou Le Nôtre, que projetou um dos jardins mais magníficos do mundo, o Jardim de Versalhes, que contava com uma série de terraços abertos, com canteiros projetados com buxinhos topiados.

Versailles


O interior dos canteiros eram preenchidos com flores coloridas, e do lado de fora com pedrinhas brancas trituradas, para dar o contraste com a topiaria. Até árvores eram topiadas, e as plantas dispostas numa forma rigorosa de alinhamento e conduzidas em formas geométricas.


Versailles


Versailles

Versailles


O gramado formava um tapete verde, e as esculturas e vasos também dispostos num alinhamento formal.

Versailles

Versailles

A beleza também era exaltada pelas grandes extensões, havendo perfeição em todos os espaços.



Versailles

Versailles


Após a Revolução Francesa, com a vinda do Segundo Império, começam a surgir novos parques e jardins na França, bem como as Sociedades de Horticultura, que reúnem os adeptos de uma vida sadia em contato com a natureza.




Napoleão III, primeiro presidente da Segunda República Francesa, sobrinho de Napoleão Bonaparte, com sua anglofilia paisagística sucede uma tendência ao retorno à simetria. O traçado retilíneo dos jardins à francesa vem retificar as curvas do passeio pitoresco e romântico.

Aos poucos os jardins foram sendo substituídos pelos espaços verdes no meio urbano. E só em 1975 voltou-se a refletir sobre os jardins e o seu papel estético e psicológico no quadro ambiental.

E de uma forma evolutiva e necessária, pelo mundo todo, foi crescendo o estudo e a importância da paisagem nos centros urbanos, e essa relevância nos efeitos psicológicos e emocionais dos seres humanos.
Por isso, é impossível ficarmos indiferentes, à essa necessidade, da presença do verde em nossas vidas.

Assim como a boa música, visualizar tudo que é belo, como esses jardins preciosos, a arquitetura, e as obras de arte, bem como conhecer a História Mundial, faz parte de um patrimônio pessoal, um tesouro, que não tem preço.

Que todos nós possamos valorizar o que realmente deve ser valorizado nesta vida, tudo aquilo que possa verdadeiramente acrescentar algo de bom à nossa alma, para que o nosso espírito possa se depurar cada dia mais.
Desejo a todos um final de semana maravilhoso.


Beijos,
Beatriz Oberg.

Parc de Sceaux - Musée du Domaine





imagens: Pinterest, Google, https://edisciplinas.usp.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá pessoas queridas do blog!
É muito gostoso ver o comentário de vocês, fico feliz com todas as ideias, opiniões e sugestões.
Muito obrigada, todos são muito bem vindos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...